Depois de um longo período de luta, aversão e marginação, na aproximidade dos anos 1970, a implantologia oral iniciòu finalmente a resgatar o vivo enteresse de numerosos livres profissionistas e de alguns previdentes representantes da odontologia oficial.
Multiplicaràm-se assim, os vários metodos de implantes e de consequencia òs Congressos Internacionais e Nacionais de grande sucesso.

Ao mesmo tempo, para o mercado deste setor odontologico sempre muito atento aos desevolvimentos e inovações , se abrem aos novos horizontes comerciais, cheios de esperanças e promessas para o futuro e possiveis ganhos nas vendas dos materiais necessarios para efectuar os varios sistemas de implantos.
Por um lado tais mudanças trouxeram uma lufada de oxigènio agora já consumadas forças dos idealistas que a dispeito da difícil situação, com fè tinham ainda acreditado em um futuro da implantologia oral, alèm de que, se actuou uma tal “contesa” de enteresse extra-cientifico da influenciar por anos sobre o progresso e afirmação oficial desta futura super especialidade.
De fato, no esforço de um intenso e pouco inteligente aumento comercial posto em ato sem uma necessaria e adequada informação dos usuarios, seja a um nível cirurgicos e protesicos, tanto insucessos proliferaram e acabou como previsto a observação das Clinicas Universitarias e dos Hospitais.
Violentas foram as reações negativas da odontologia oficial e da cirurgia maxilo-facial neste invulgar acordo de mercado e ciência, assim que decidiram de proibir das Assembleias Congressuais os sistemas e os seus autores.

Essencialmente aconteceu uma neta divisão entre os livres professionais que continuaram com um proprio congresso e universitarios maxilo-facial que excluiram nas suas manifestações cintificas qualquer tipo de intervenção sobre a implantodontia endòsseos.
Nesta averção geral foram a excepção, seja com muita cautela, as Universidade de Modena directa dal Prof. Benito Vernole, di Pisa directa dal Prof. Renato Bandettini, di Milano directa dal Prof. Oscar Hoffer, e di Parma directa dal Prof. Rusconi, onde tinham a incubencia de ensino os professores Ugo Pasqualini, Sebastiano Lo Bello e Nazario Marini.

E foi o mesmo Sebastiano Lo Bello que em 1975, durante o Congresso de Kyoto, ciente do dano causado a afirmaçao mundial de implantologia oral dessas duas posições antiteticas, e exausto do pouco e grave axpecto que estavam assumindo as relações cientificas, e as organizações congressuais miradas unicamente ao contexto economico, propos a criação de uma Associação Internacional livre de qualquer lucro que nao seja aquele de puro interesse scientifico.
Para recozer a divisão Lo Bello esplicou a necessidade e as motivaçoes de uma informação livre e indipendente, empenhando-se a preparar o Estatuto Associativo e um programa de base.
A ideia foi entusiasticamente partilhada dos mais famosos e conscientes implantologistas do tempo que se renderão disponíveis a participar.
Neste contexto, o Congresso de Cirurgia maxilo-facial de Ortisei de 1976, sob a Presidencia da Universidades maxilo-facial, depois de varios anos aceitou pela primeira vez, como parceiro, da organização e das relações científicas também a componente implantologica.

Em 1978 a nova associação proposta da Sebastiano Lo Bello foi oficialmente aprovada com o nome I.R.C.O.I.- INTERNATIONAL RESARCH COMMITTEE OF ORAL IMPLANTOLOGY e iniciou com sucesso o seu dever de informação scientifica a nìvel internacional.

Foram eleitos ao vertice da associação:

Prof. Sebastiano R. Lo Bello – Presidente Internacional IRCOI
Prof. Ugo Pasqualin – Presidente IRCOI Italia
Prof. Amedeo Bobbio- Presidente IRCOI Brasile
Dr. Serge Brauner – Presidente IRCOI Francia
Dr. H.G. Jakobs – Presidente IRCOI Germania
Dr. Samuel Tadros – Presidente IRCOI Kuwait
Dr. Antony Ricciardi – Presidente IRCOI USA

Foi aprovado o estatuto e, specialmente foi decretado a regra fundamental enderrogavel da independência total e absoluta de qualquer envolvimento comercial da associação que acontecem fora do patrocínio dos congressuais.
Além disso, foi decidida uma ação necessária para a formação profissional dos membros sobre I.R.C.O.I. os tipos mais conheçidos dos implantes exitentes, bem como a recolha de estatísticas sobre os resultados obtidos.
Os congressos também foram igualmente abertos a todos com a supervisão de uma comissão científica de um pequeno resumo e material ilustrativo e unicamente em razão de uma informação séria e científicamente adequada.

É claro que esta independência louvável criou graves dificuldades económicas na gestão da associação, as dificuldades, que todavia, foram superadas com entusiasmo através a colaboração organizacional com outras associações nacionais e muitas vezes com a intervenção direta e pessoal dos vértices e muitos membros.
Nos 24 anos que se seguiram houve muitas rotações nos cargos nacionais e internacionais, foram criadas mais secções nacionais, como Israel, Grécia, Reino Unido, Argentina, Iugoslávia, Portugal, Arábia Saudita, Cuba, Chile e da Roménia, de modo que o I.R.C.O.I. foi, assim, capazes de se expressar no mundo, com eventos memoráveis ​​de alto nível científico.

Certamente nem todos os objetivos planejados foram alcançados, mas, o que em particular IRCOI pode se orgulhar de ser a única associação internacional de 26 anos a sobreviver a uma plena independência econômica e para ficar na platéia dental através do elevado número de eventos científicos, tais como a garantia de continuidade dos princípios fundamentais para a qual ela nasceu, em especial aos princípios da informação, educação e muito correta, sem fins lucrativos, e aberto a todas as idéias e pesquisa digna desse nome.

Comments are closed.